Bem-vindo à Senhorita Retrô

Filmes Moda

14/07/2019 / 1 mes atrás

Documentário retrata o trabalho em Toritama, capital do jeans

Documentário retrata o trabalho em Toritama, capital do jeans

Essa semana vi que saiu um documentário muito interessante retratando o trabalho na cidade Toritama, que é como se fosse a capital do jeans, pois essa cidadezinha é responsável por uma grande quantidade do jeans produzido no Brasil. 

E a parte boa desse documentário é nos fazer refletir sobre nosso consumo, porque vendo mesmo que só esse vídeo pequeno, já dá para perceber que algo está errado. 

Na matéria do jornal O Globo eles falam sobre as pessoas deixarem seus empregos, comprarem uma máquina de costura, tendo a falsa sensação de que serão livres, porém livres pra trabalhar 14 horas por dia, e o que ganham com isso? Ganham mais dinheiro. 

Eu já trabalhei em uma facção de costura, porém provavelmente por ser outra região, aqui se trabalha mais horas mesmo, mas não chega a isso. Normalmente os donos da facção que trabalham mais tempo, se estressam porque tem que entregar a costura até tal dia, e nem tudo é perfeito, às vezes acontece algo que faz com que não possa costurar, aí pronto, é trabalhar até meia noite e no outro dia as 6:00 da manhã de novo. 

E o título do documentário é perfeito, retrata muito bem essa questão, pois tanto lá como aqui, se espera o final do ano, ali do meio de dezembro pra frente, para tirar férias até o começo do outro ano. 

Eu não acho errado ter uma facção e trabalhar fazendo serviços para grandes empresas. O que eu acho errado é ser pago tão pouco para se ter que trabalhar muito para conseguir ganhar mais dinheiro. 

Para vocês terem uma noção, empresas que pagam bem, pagam uns 5 reais pra fazer uma peça bem cheia de frufru. Isso pagando bem, bem mesmo. 

É por isso que defendo e vou continuar defendendo o slow fashion, independente da outra marca estar vendendo suas peças por R$300,00 reais e eu não, porque se ela cobra isso, deve ter um motivo, e eu não vou contestar. 

Enfim, era essa a reflexão que eu gostaria de fazer a vocês, porque no final, o que importa para alguns é o preço, e ele está atrelado à dignidade humana, infelizmente. 

Conta pra gente o que achou!

NEWSLETTER

Digite seu e-mail

Não se preocupe, também não gostamos de SPAM :)